Crueza do século

20 dez

Não há metáfora
Para subentender
A dureza crua
Dos dias do mundo

Não há como dissimular
Ou encobrir
A fria certeza
Do tempo ruir

Dias sombrios
Tardes sem paz
Gritos de horror
Medo. Caos.

Intolerância é só de existir
Das vielas e guetos
Aos cantos destroçados de Alepo
Nem lágrima sobrou pra cair

Marcha ré engatada
Do Brasil golpeado
Ao Trump domínio
Delírio D.C.

Sucumbe-se
Sepulcra-se
Desacredita-se
Desfaz-se

A vida,
A sensatez,
A harmonia,
O amor,
O sonho,
Sorriso

Desata
Guerreia
E mata

Mas encarna meu ser
Inebriada espera
Por  esfacelados pedaços
A  refazer

19 de dezembro de 2016

Uma resposta to “Crueza do século”

  1. Marcelo Vieira Graglia 12/04/2018 às 18:25 #

    Lindíssimo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: